fbpx
Assine nossa newsletter

Conhecendo Froebel e seu Jardim de Infância

Neste artigo você vai conhecer um pouco da história de Froebel e ver dicas de como utilizar seus Presentes em projetos educacionais

froebel-jardim-de-infância-presentes-fuzzy-makers

Uma vez que a educação infantil se tornou amplamente adotada, as crianças têm a possibilidade de, cada vez mais cedo, acessar as instituições de educação. Logo no jardim de infância elas começam a desenvolver seu processo de aprendizado, orientadas pelas diversas metodologias educacionais. Criado por Friedrich Froebel, o jardim de infância foi o primeiro método educacional organizado para a primeira infância.

Froebel, foi um pedagogo nascido na Alemanha no final do século XVIII. Ele desenvolveu um método de aprendizado que combina uma consciência da fisiologia humana e a percepção de que somos, em nossa essência, seres criativos. Esse foi o ponto de partida para que ele criasse ferramentas inovadoras que utilizamos ainda hoje na educação infantil.

Neste artigo, introduzimos como Froebel desenvolveu suas pesquisas, as ferramentas pedagógicas que criou e como usar seus conhecimentos na educação atual. Boa leitura!

Como tudo começou

A primeira instituição educacional de Froebel, aberta em 1817, ainda não era organizada como o sistema que mudou a abordagem nos jardins de infância. Foram necessários mais de 20 anos para que essa evolução acontecesse, e ainda hoje podemos notar sua influência. Até seu falecimento, em 1852, Froebel se dedicou a educar crianças desenvolvendo métodos para potencializar as capacidades humanas.

Suas ideias eram tidas como radicais na época, ele sofreu grande resistência de autoridades e da igreja. Isso porque, antes de suas intervenções, crianças muito pequenas não eram educadas. Seus estudos foram os primeiros a identificar um desenvolvimento cerebral significativo nas crianças entre o nascimento e os 3 anos de idade. Essa descoberta reforçava suas teorias de que a educação deveria se iniciar mais cedo do que era praticado até então.

Froebel inovara em sua pesquisa pioneira. Ele introduziu técnicas que incluíam diferentes estilos de aprendizagem para o desenvolvimento de inteligências múltiplas e defendia um processo de aprendizagem centrado na criança e que envolvesse os pais. Também estimulava o uso de jogos e música nas atividades e se tornou referência em educação baseada em brincadeiras.

Mães educadoras

Em um período em que as mulheres não tinham permissão para trabalhar ou construir carreiras profissionais, os jardins de infância permitiram que elas o fizessem. Por reconhecer que a educação começa na infância, Froebel acreditava que as mães eram professoras ideais. Ele via as mulheres como as mais adequadas para nutrir as crianças e permitiu que elas se tornassem professoras de jardim de infância em suas escolas.

Esse movimento atraiu mulheres que receberam educação avançada e desenvolveram seus próprios negócios. Elas também foram responsáveis por promover a causa de Froebel. Contudo, Froebel também acreditava que os homens tinham papel fundamental na educação das crianças, principalmente os pais. Para ele, a educação devia ser uma atividade familiar.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

Brincadeiras que estimulam o aprendizado

Froebel entendia que nossa capacidade de mudar o ambiente é o que nos separa de outras formas de vida. Isso poque o cérebro humano nos permite construir ferramentas, visualizar em 3D e enxergar o futuro de formas diferentes. Portanto, do seu ponto de vista, a educação deve auxiliar as crianças a se entenderem como seres criativos.

Ele dizia que “a criança pode ser despertada e ensinada apenas através de símbolos, e não de imagens mentais superiores. Os fenômenos naturais fornecem esses símbolos, mas deve primeiro ser selecionado pela grande variedade de coisas, pela mente pensante”. Ele concluiu que os jogos estimulavam as crianças a descobrir como as coisas funcionam. Essa era uma atividade não apenas prazerosa, mas biologicamente intencional.

Para aproveitar esse impulso, ele projetava atividades específicas que concentravam a energia lúdica da criança para estimular a associação de seus resultados com suas experiências individuais. Para complementar e potencializar os benefícios desse seu novo método, Froebel desenvolveu brinquedos educativos denominados Presentes de Froebel.

Esses brinquedos são conjuntos de materiais utilizados pelas crianças para construir montagens e representações. Ele categorizou essas possibilidades de criação dos presentes em três grupos, de modo que cada presente pode resultar nas três categorias dependendo da abordagem aplicada. São elas:

– Formas de vida: criações e representações de objetos relacionados ao cotidiano das crianças, formas presentes em sua vida;

– Formas de conhecimento: montagens que abordam conceitos relacionados à matemática e ciências, como contagem, diferenciação, ordenação, proporção, formas geométricas, entre outros;

– Formas de beleza: criações de padrões, simetrias e desenhos abstratos.

Ele percebeu que as crianças gostam de reproduzir objetos e formas que se relacionam com seu próprio mundo. Por isso, indicava que os presentes fossem introduzidos com Formas de Vida, e só depois explorassem as Formas de Conhecimento ou Formas de Beleza.

Conhecendo os Presentes de Froebel

Como foram desenvolvidos para o manuseio de crianças, os Presentes de Froebel têm uma aparência simplista, mas permitem uma abordagem profunda para o desenvolvimento infantil. Seus designs passaram por várias modificações à medida que o pedagogo observava as crianças e avançava com seus estudos.

A seguir vamos apresentá-los individualmente, com algumas sugestões de como explorar seus recursos.

Presente 1 – Bolas de fios

Por ser leve e fácil de segurar, Froebel percebeu que uma bola costuma ser o primeiro brinquedo de bebês. Para ele, a forma pura da bola a simbolizava como uma unidade.

A bola se torna uma excelente ferramenta para estimular interações. A criança pode segurar, girar ou rolar o objeto, brincando com seus pais ou com o educador. É importante conversar com ela e manter o contato visual fazendo expressões faciais, cantar é uma boa opção.

O jogo de bolas introduz conceitos de movimento, cores e formas. Sua forma pode ser associada a diversos objetos do cotidiano da criança, como maçãs ou balões. Inicialmente as cores devem ser trabalhadas individualmente, repetindo os movimentos trabalhados com a cor anterior e introduzindo novos movimentos de acordo com sua evolução.

Presente 2 – Esfera, Cilindro e Cubo

Esse presente possui um cilindro, uma esfera e dois cubos, todos com duas polegadas. É possível explorar essas formas observando, manuseando e comparando seus formatos. Ao empilhar os objetos, o educador pode apresentar os conceitos de superfícies, arestas, frente e trás, sob e sobre, entre outros.

As varetas acompanham o conjunto para que a criança possa girar os objetos e descobrir novas formas. Por exemplo, o cubo girando gera o formato de uma esfera. Os sons também podem ser explorados ao girar os objetos pendurados na corda ou ao tocar neles com as varetas.

Presente 3 – Cubo Dividido

A caixa contém um cubo maior, composto por 8 cubos de duas polegadas. Todas as peças do presente devem ser trabalhadas, pois a totalidade é um ponto chave das dinâmicas. Ao desfazer a estrutura original e remontar o cubo, é possível introduzir os conceitos de inclusão e colaboração, mostrando que as unidades podem se deslocar, construir novas formas e retornar ao todo.

Os blocos podem ser associados às estruturas que a criança assimila com facilidade, como trens e torres, enquanto ela cria uma história. Assim, enquanto estimula sua criatividade, a criança faz associações entre seus mundos externo e interno.

É importante que o educador oriente o aluno a fazer essas construções de forma ordenada, promovendo um pensamento lógico. Com as estruturas tridimensionais, pode-se introduzir os conceitos de proporção, aritmética e frações, por exemplo. O vocabulário da criança também se amplia ao falar de números, linhas, mais, metade, cubo, quadrado etc.

Presente 4 – Prismas Retangulares

O presente 4 é uma variação do presente 3, mas nesse caso o cubo é dividido em 8 blocos retangulares de 2 x 1 x ½ polegadas. Eles podem sem associados pelas crianças à ladrilhos ou tijolos em suas construções.

Trabalhos que envolvem proporção podem ser aplicados a partir de novas palavras, como altura, largura, comprimento, meio, quarto, vertical etc. O educador também pode sugerir que o aluno faça construções com paredes, cercas e degraus, por exemplo, usando simetria. Depois de explorar esses padrões, quando o aluno estiver pronto, ele pode evoluir para os padrões assimétricos.

Presente 5 – Cubos e Prismas Triangulares

O presente 5 de Froebel é composto por um número maior de peças; são 21 cubos de uma polegada, 6 meio-cubos e 12 quartos de cubo. As formas triangulares possibilitam que a criança explore e construa objetos mais realista. Assim como nos outros presentes, as criações lúdicas devem ser estimuladas com histórias músicas que envolvam o aluno.

Conceitos matemáticos, de formas geométricas e frações passam a fazer parte dos projetos ao passo que o aluno explora e diferencia tamanhos e formas. No vocabulário, são descobertos termos novos como triângulo, ângulo e diagonal.

Presente 6 – Blocos de Construção

Essa caixa apresenta o cubo dividido em 12 blocos quadrados, 6 colunas e 18 prismas retangulares. Esses componentes clássicos de construção trazem uma sensação arquitetônica real aos projetos. Os novos tamanhos e formas também devem ser apresentados com roteiros criativos incorporando os princípios de proporção e equilíbrio, por exemplo.

Como nos outros presentes de Froebel, o ideal é que as construções sejam modificadas nos projetos, ao contrário de destruir uma para construir outra. Desse modo, o aluno desenvolve no processo uma visão mais crítica e lógica de seus pensamentos.

Presente 7 – Placas Geométricas

O sétimo da série de presentes contém formas bastante variadas:

– Quadrado (1” e 2″);

– Círculo (2″);

– Semicírculo (2″);

– Triângulo Equilateral (1″ e 2″);

– Triângulo isósceles em ângulo reto (1″ e 2″);

– Triângulo escaleno em ângulo reto;

– Triângulo isométrico obtuso;

– Triângulo isósceles obtuso.

Nos presentes anteriores as formas eram apresentadas para as crianças como sólidos. Nesse caso, as placas introduzem os conceitos de superfície plana e formas bidimensionais. As peças precisam ser introduzidas uma de cada vez, junto à peça sólida da qual ela foi derivada. A partir dessa inclusão, a criança é estimulada a desenvolver gradualmente a mudança da compreensão concreta para pensamentos abstratos.

As peças do jogo podem ser combinadas para formar pentágonos ou hexágonos, por exemplo. As possibilidades para trabalhar matemática e geometria são inúmeras. Uma sugestão é apresentar conceitos de simetria, linhas paralelas, dimensões e ângulos.  O importante é não sobrecarregar a criança, aumentando o número de peças de acordo com seu desenvolvimento.

Para estimular a criatividade, uma opção é trabalhar com as cores na criação de mosaicos. O educador pode desafiar o aluno a criar novos padrões sem destruir o anterior, apenas modificando a posição das peças.

Presente 8 – Contornos Geométricos

Até aqui a criança conheceu formas tridimensionais e bidimensionais. O presente 8 representa as bordas ou contornos desses objetos. Essa evolução de sólido para a superfície e para a linha, eleva progressivamente a percepção concreta para abstrata. Nesse sentido, todo conhecimento é construído sobre o conhecimento anterior. Por isso, no presente 8 de Froebel recomenda-se apresentar as linhas retas antes das curvas e dos anéis.

O educador pode começar com um número pequeno de bastões pedindo que o aluno reproduza formas que ele encontra em seu cotidiano. Os anéis auxiliam na introdução dos conceitos de metade, diâmetro e circunferência. É importante que a criança crie sozinha, apenas sob orientação do educador, para que ela desenvolva sua auto confiança.

Presente 9 – Pontos

O nono presente traz pequenos objetos com cores variadas para representar os pontos. Os jogos agora envolvem a criação de objetos apenas com a referência da posição dos pontos. Uma grade de papel pode ser usada para orientar o aluno, de modo ele mantenha a simetria nos padrões geométricos.

Nesse momento, a criança passa a compreender o universo em termos de sólidos, superfícies, linhas e pontos. Durante todo o processo de aprendizagem ela pode construir esses conceitos enquanto brinca com essas ferramentas educacionais. E ainda, de forma lúdica, a criança explora seu mundo representando o que é familiar para ela.

Presente 10 – Estruturas Espaciais

O décimo e último presente da série completa o ciclo combinando pontos e linhas para criar formas sólidas, evoluindo a ideia concreta de formas sólidas para a ideia abstrata de padrões espaciais. Isso é possível porque todas as brincadeiras e experiências anteriores permitiram que a criança internalizasse diversos conceitos fundamentais.

Antes de utilizar qualquer presente de Froebel, é preciso compreender que o material utilizado não é mais importante. O objetivo é estimular o processo de aprendizagem das crianças através de suas experiências. Por isso, se a intenção no presente 10 é combinar pontos e linhas para formar a estrutura de sólidos, o educador pode utilizar qualquer recurso que tenha disponível. Nos primeiros jardins de infância os materiais utilizados eram ervilhas secas e palitos para conectá-las.

Em todo o processo é importante que o aluno coloque a mão na massa, que suas criações sejam autorais e estimuladas por recursos lúdicos, como história e músicas. O educador deve se atentar para o desenvolvimento gradual do aluno, introduzindo novas ferramentas de acordo com seu desenvolvimento.

Presentes Curvilíneos

Assim como outros presentes de Froebel, a série curvilínea foi criada depois de sua morte. A caixa contém 1 cilindro dividido em 3 anéis concêntricos de ½” de espessura, com 3 camadas na vertical; ao todo são 36 peças. O presente curvilíneo pode ser visto como uma variação do presente 5, sendo também adequado para construções arquitetônicas.

As crianças podem brincar de dividir o cilindro em metades, terços e quartos, por exemplo. Podem também aprender conceitos de diâmetro, eixo e arco. O importante é que, assim como nos outros presentes, a criança reproduza formas que ela encontra facilmente em seu cotidiano.

presentes-curvilíneos-froebel-fuzzy-makers

O Jardim de Infância de hoje

De fato, Froebel foi um revolucionário em seu tempo e seus ensinamentos são referência no campo da educação. É interessante perceber que a educação contemporânea, além desfrutar de seus estudos, também conta com a possibilidade de evoluir essas ferramentas e incorporar ainda mais recursos pedagógicos, físicos, digitais e tecnológicos ao repertório.

Entretanto, apesar de todas essas possibilidades, o que vemos atualmente é um movimento contrário no jardim de infância. A premissa básica de que somos seres criativos e toda essa coerência na abordagem de Froebel vêm sendo ignorados para dar lugar a uma “pré-alfabetização” das crianças nesse nível de ensino. Isso acaba reduzindo ainda mais os estímulos à criatividade e raciocínio lógico dessas crianças, para focar em repetição e memorização.

Porém, vivemos em uma era que nem todas as informações precisam ser memorizadas. Elas estão facilmente disponíveis e temos máquinas muito mais eficientes para fazer isso por nós. O que precisamos é estimular as crianças para interpretarem criticamente essas informações através da lógica, criatividade, ética e empatia. Ou seja, para avançarmos melhor em direção ao futuro, devemos é, na verdade, retomar algumas práticas do passado, começando pelo jardim de infância de Froebel.


AS INFORMAÇÕES DISPOSTAS NESTE ARTIGO SOBRE A HISTÓRIA DE FRIEDRICH FROEBEL E SEUS PRESENTES ESTÃO DISPONÍVEIS NO SITE OFICIAL FROEBELGIFFTS.COM

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.