fbpx
Assine nossa newsletter

O que é Adaptive Learning e como ele tem revolucionado a educação

Se os alunos são diferentes, por que o método de ensino deveria ser igual para todo mundo?

o que é adaptive learning

Já que cada aluno tem um jeito diferente de pensar e de aprender, por que tentar fazer com que todos desenvolvam seu potencial com uma metodologia de ensino única e engessada? Para driblar essa questão, é importante entender o que é adaptive learning, a fim de respeitar o ritmo de aprendizagem de cada um.

E como seria muito complicado para o professor entender todas as diferentes necessidades da turma, a tecnologia torna-se uma forte aliada para a aplicação desse método. Quer entender melhor o que é adaptive learning? Então, continue a leitura e descubra todas as suas vantagens e como implementar essa forma de aprendizagem!

O que é adaptive learning?

O mundo mudou, a tecnologia tomou conta de vários aspectos na sociedade, mas, em sala de aula, o modelo de ensino ainda é ultrapassado. O professor é a autoridade máxima, detentor do conhecimento, e tem a função de expor o conteúdo a um grupo de crianças ou jovens enfileirados.

Não é de se estranhar que boa parte deles não consiga se concentrar para tentar entender o assunto, o que torna a escola e o processo de ensino totalmente desmotivador. Mas por que somente alguns alunos conseguem aprender efetivamente dessa forma?

A resposta é simples: as pessoas não são iguais e, quando se trata de aprendizagem, as potencialidades e dificuldades variam muito de indivíduo para indivíduo. É preciso considerar ainda as vivências, habilidades e interesses que tornam cada aluno único.

Na década de 1980, o professor e psicólogo americano Howard Gardner, de Harvard, ratificou essa questão ao apresentar a teoria das inteligências múltiplas.

Assim, segundo o psicólogo, há 9 tipos de inteligências. São elas:

1) lógico-matemática;

2) espacial;

3) linguística;

4) musical;

5) corporal;

6) intrapessoal;

7) interpessoal;

8) naturalista;

9) existencial.

A teoria de Gardner mostra que existem diferenças no modo de processamento das informações em cada pessoa, que pode ter uma ou duas inteligências mais desenvolvidas do que outras. E isso explica por que as aulas no método tradicional de ensino podem ser desinteressantes para tantos alunos.

Com o adaptive learning ou aprendizagem adaptativa o ensino não precisa ser massante. Isso porque pode ser personalizado, de acordo com o jeito de pensar de cada um, tornando a aquisição do conhecimento um momento prazeroso e desafiador. Com isso, o aluno consegue desenvolver seus pontos fracos e explorar melhor suas potencialidades.

Conheça os Fuzzy Bits

Como aplicar essa forma de aprendizagem?

Para entender o ritmo de aprendizagem de cada aluno, é importante contar com softwares ou plataformas de ensino específicos, que coletam e interpretam suas respostas e reações ao longo do processo. Desse modo, é possível identificar o nível de aprendizagem do estudante e o modo como processa as informações.

Com esses dados, fica mais fácil disponibilizar um conteúdo que se encaixe no jeito de o aluno aprender. Podem ser propostos exercícios, videoaulas ou, até mesmo, usar a gamificação para desenvolver habilidades e apresentar os conteúdos de uma forma mais dinâmica aos estudantes.

Conhecendo o perfil do aluno, é possível, inclusive, pensar em outros tipos de atividades, como os projetos do tipo “mão na massa”. Hoje há diversas formas de colocar os alunos como protagonistas das atividades, desenvolvendo objetos com impressoras 3D, que estão mais acessíveis, ou ainda utilizando kits de robótica e programação.

A ideia do adaptive learning é utilizar a tecnologia, até porque ela é bastante familiar aos alunos e consegue dinamizar o processo de ensino. No entanto, a ideia pode ser aplicada em uma série de atividades, como criação de objetos com sucatas, de uma horta na escola, formação de um grupo de teatro etc.

O fundamental é que o ensino vá além do caderno e livro. É preciso explorar o talento de crianças e jovens, de um modo que o conteúdo faça sentido para eles. Dessa forma, todos podem se desenvolver e crescer cheios de interesse pela escola e pelo conhecimento.

Como fica o professor nesse contexto?

Então, será que o professor não é mais necessário nesse método? Pelo contrário: a tecnologia dá um suporte ao educador, que consegue trabalhar melhor as necessidades de seus alunos por obter um perfil individualizado de cada um.

O uso de softwares e plataformas adaptativas facilitam o dia a dia do educador, que tem as correções dos exercícios feitas de forma automática, o que permite acompanhar o desempenho e necessidades dos alunos.

Além disso, como a tecnologia atua como uma aliada, ele tem mais tempo para pensar no plano de aula e em atividades e projetos variados, que vão complementar o conteúdo e deixar a aula ainda mais atrativa.

Quais são as vantagens do adaptive learning?

Deu para perceber por que o adaptive learning é uma tendência na educação? É um método que usa a tecnologia para atender as necessidades do alunos e, com isso, apresenta uma série de vantagens, como:

– envolvimento maior de crianças e jovens no processo de ensino, já que os conteúdos dinâmicos e desafiadores respeitam seu modo de aprender;

– protagonismo do estudante na aquisição do conhecimento, já que é ele quem dita o ritmo de aprendizagem;

– identificação das potencialidades e dificuldades de cada aluno;

– preparação da criança e do jovem para a vida e para o mercado de trabalho, já que o método dá autonomia para o aluno;

– dados do software revelam o desempenho dos estudantes e da turma, fornecendo subsídios ao professor para pensar em novas formas de apresentar o conteúdo;

– a tecnologia do adaptive learning permite ao aluno estudar por meio de um dispositivo conectado à internet. Ele pode, dessa forma, tirar proveito da tecnologia em casa, com o acompanhamento da família;

– otimização do tempo dos alunos e professores, já que o ensino se torna mais direcionado e eficaz.

Agora você já sabe o que é adaptive learning e como esse método se encaixa bem nessa nova geração de alunos, que são nativos digitais. A tecnologia torna-se uma grande aliada no ensino, facilitando a educação de forma integral e também a participação dos pais na aprendizagem de seus filhos.

Gostou do nosso post? Quer conhecer outras formas inovadoras de ensino? Entre em contato com a Fuzzy Makers e saiba mais!


Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.